sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Olhe para mim Jesus.


Não pelo amor que eu tenho por ti, que é tão pequeno, tão condicional, tão interesseiro.
Mas pelo amor que tens por mim, eterno, incondicional, incomensurável.
Não pelo jeito que eu olho pra ti.
Mas pelo olhar eterno que vem de Ti desde antes de eu existir.
Não pelo jeito que te ouço.
Mas pela forma com quem tem me escutado por toda a minha vida.
Não pelas minhas convicções.
Mas por tua misericórdia.
Não pelas minhas qualidades.
Mas pelo que tu tens me feito ser.
Olhe pra mim Jesus.
Não pela minha força ou minha fraqueza.
Mas por quem sou, aquele que foi amado primeiro por ti.
Não pelo meu orgulho.
Mas pela tua capacidade de compreender quem é infinitamente, intensamente, eternamente pequeno diante de alguém como você.
Não pelo que fiz, pelo que vou fazer.
Mas pela necessidade que tenho de ser conduzido.
Olhe pra mim Jesus.
Não pelas minhas promessas e palavras.
Elas se vão tão rapidamente...
Mas pela condição da tua presença fazer com que minhas palavras tenham vida.
Olhe pra mim Jesus.
Não pelo jeito que olho para as pessoas.
Mas pela certeza de que eu posso permitir que tu mude o meu olhar.
Não pelo jeito que amo as pessoas.
Mas por tu ser sinônimo de amor, e tu me ensinar a cada dia a amar.
Não pela forma que escuto.
Mas por permitir que você seja meus ouvidos.
Olhe pra mim Jesus.
Não pelo que fiz de certo e muito menos pelo que fiz de errado.
Mas porque a eternidade não passa muito rápido e preciso que esteja em toda ela.
Esteja em mim Jesus.
O tempo tem passado rápido, o mundo tem mudado, as pessoas, eu, o tempo, o clima, tudo.
Mas você permanece o mesmo.
Esteja em mim...

Texto escrito por G.A Ferreira, enviado pela Thayná Querino.