quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Ainda há esperança

A vida é algo do qual nem o mais habilidoso filósofo ou pensador conseguiu decifrar, é uma linha, uma montanha rusa, um caminho, um processo. Nascemos sem uma verdade absoluta de onde viemos e daqui partimos para um lugar do qual não é um consenso entre todos, há quem acredite que quando seu coração parar é o fim de fato, tudo preto, apagou, acabou.

Nesse processo buscamos realização de metas, sonhos, desafios. Crescer na vida é o lema, se sujeitando aos mais diversos níveis de sacrifícios, buscamos ser mais. Mais o que? Sempre haverá alguém maior que nós em algum quesito. O problema é que nessa busca de ser mais as pessoas acabam atropelando as outras.

Nossa sociedade se torna um ringue de tamanho infinito, a briga é constante, para se conseguir uma promoção, fala-se mal do companheiro de trabalho, pois ele é mais eficiente e certamente já estava em suas mãos, no trânsito até acostamento vira via, sua pressa é mais importante que a do outro.

De tempo em tempo somos afligidos por grandes tragédias (além das tragédias diárias) e estas servem como um chacoalhão, um grande ACORDA! Essa é a hora de todos nós revermos nossos conceitos e metas. Ajudar, amar e estar com o outro, com o próximo, seja sua mãe, seja um idoso prestes a atravessar a rua deve ser prioridade.

Por falar em desastres, o último foi do avião que caiu com profissionais da Chapecoense, jornalistas e tripulantes, este fato consternou boa parte do mundo. Ainda há quem queira usar isso ao seu favor, mas deixemos esses trastes de lado. Mas após ver alguns jornalistas emocionados e homenagens prestadas (com ênfase ao povo colombiano que me ensinou muito) vejo que ainda há uma luz no túnel.



Faça a sua parte também, espalhe o amor.

Meus sentimentos à todos os envolvidos.

Perdoe e dê um abraço em quem você estiver magoado.

Estar no seu auge não te da imunidade à morte.

O amanhã pode ser tarde demais.


Thiago Balzary.