quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Vai murchar, a lembrança vai ficar


O vento que apaga os passos da dança é o mesmo que faz o tempo passar. Hoje ganhei uma flor, ela vai murchar em breve arrancada do pé. A lembrança que o vento não apaga é a do senhor de 71 anos subindo na arvore, arrancando e me entregando. 

Aos poucos, em frações de segundos nos tornamos e consideramos especiais à alguém.

Os ventos que trazem e levam pessoas são os mesmo que nos dão motivos para sorrir todos os dias, que deixam fluir uma conversar iniciada pela características do corpo de bailarina e pela nossa cultura.

Esse universo grande e maravilhoso que nós dá de presente as ternuras da vida que não se pode comprar.